2018-12-17

Frederico Paciência: o conto homoerótico de Mário de Andrade

http://www.indexebooks.com/frederico_paciencia.html
Juca, um dos personagens e narrador do conto Frederico Paciência, de Mário de Andrade, relembra como conheceu e conviveu durante a adolescência com o seu grande e “único amigo” Frederico Paciência, um colega mais velho. A tensão sentimental e homoerótica entre os dois é patente, mas Juca nega-se a admiti-lo perante o amigo, perante o leitor e perante si mesmo.

Mário de Andrade demorou dezoito anos a dar forma definitiva a este conto, escrevendo-o e reescrevendo-o entre 1924 e 1942, três anos antes da sua morte. O conto apenas seria publicado postumamente, em 1947, na coletânea Contos Novos. Peterson Oliveira considera que “a demora em encontrar uma versão definitiva para ‘Frederico Paciência’, o único conto homoerótico do autor, sugere que os conflitos vividos por Mário em relação ao próprio desejo estejam relacionados à demora em dar um ponto final para tal narrativa.


Mais informações sobre este novo volume da série Clássicos de Literatura Gay da INDEX ebooks aqui.

2018-10-20

Sabia que “O Bispo de Beja” era sodomita?

E que Eça de Queirós retratou personagens queer em vários dos seus romances mais famosos? que se escreveram muitas canções de escárnio homofóbicas na Idade Média, mas também se descobriu uma canção de amor homossexual? que antes de Egas Moniz, já o médico Asdrúbal António de Aguiar, no séc. XIX, tinha publicado uma tese de medicina sobre a “inversão sexual”? que José Régio se inspirou no poeta António Botto para um dos personagens dos seus romances da série “A Velha Casa”? e que “O Berloque Vermelho”, de António Silva Pinto, foi provavelmente a primeira obra de ficção portuguesa a abordar o amor erótico homossexual, em 1875?

Poderá encontrar estas e outras informações surpreendentes na 6.ª edição do Dicionário de Literatura LGBTQ+ de Portugal, uma obra de referência inédita e indispensável, que já soma 626 verbetes (mais 178 que na edição anterior), para das letras “A” a “R”.

Clique aqui ou na imagem para saber mais.

2018-08-20

Novo Clássico: "Os Serões do Convento"

http://www.indexebooks.com/seroes_do_convento.html
A INDEX ebooks orgulha-se de anunciar a publicação da primeira reedição de Os Serões do Convento, atribuído a José Feliciano de Castilho. O original de 1862, encontrado no Real Gabinete Português de Leitura do Rio de Janeiro, foi enriquecido com um excelente prefácio de Helder Thiago Maia e Mário César Lugarinho, doutores em Literatura Comparada e Letras.

As onze narrativas eróticas que compõem o romance são contadas, em três noites, pelas freiras de um convento português, para criarem entre elas uma “perfeita intimidade”, o que acontece logo no final do primeiro serão, quando as freiras saem ao beijos da cela de Soror Teresa de Jesus, em casais ou trios, dirigindo-se às suas próprias celas. “Sob o signo da libertinagem e/ou da patologização,” afirmam os autores do prefácio, “surgiram os primeiros personagens que se relacionam sexualmente e/ou afetivamente com personagens do mesmo género, assim como também aparecem personagens que transgridem as normatividades de género. Desta forma, 'Os Serões do Convento' é também parte da historiografia literária LGBT brasileira e portuguesa". ​O livro foi assinado com o pseudónimo M. L., mas a sua atribuição a José Feliciano de Castilho, irmão do grande escritor romântico português, António Feliciano de Castilho, foi feita logo em 1926, após a morte do alfarrabista carioca, João Martins.

Título: Os Serões do Convento
Autor: José Feliciano de Castilho
Género: Romance, contos eróticos
Coleção: Clássicos de Literatura Gay, volume 6
Data de lançamento: 20-agosto-2018

Mais informações: clique aqui.