2015-01-26

Já nas bancas: O Bom Crioulo, de Adolfo Caminha

A INDEX ebooks têm o orgulho de anunciar a publicação de uma edição revista e anotada do primeiro romance homossexual em português, O Bom Crioulo, do brasileiro Adolfo Caminha, publicado em 1895. 

Em O Bom Crioulo, Adolfo Caminha escolhe para personagem principal Amaro, um imponente e lúbrico marinheiro negro, escravo fugido de uma fazenda, que se apaixona por Aleixo, um jovem e ingénuo grumete branco do seu navio de guerra. 

Para além de ter sido uma das primeiras obras literárias brasileiras a apresentar um negro como personagem principal, foi a primeira a ousar escolher como tema principal a homossexualidade. Robert Howes refere mesmo que O Bom Crioulo (1895), de Adolfo Caminha, em conjunto com O Barão de Lavos, de Abel Botelho, e O Senhor Ganimedes (1906), de Alfredo Gallis, “são das primeiras obras literárias modernas numa língua europeia a tratar abertamente o tema da homossexualidade masculina. (…) Em contraste com o tratamento encoberto dos romances ingleses da época, os romances portugueses eram bastante mais abertos no retrato que faziam do sexo e da sexualidade”. 

Mas o livro de Adolfo Caminha destaca-se ainda por outro motivo, é o único dos três citados que é quase acrítico em relação à homossexualidade. Enquanto o barão de Abel Botelho é um pederasta que desencaminha rapazes jovens e inocentes para seu prazer sensual, e Alfredo Gallis apresenta o seu livro como um alerta às raparigas casadoiras, para que se previnam de ligações a homens que as desonrarão com os seus vícios, e aos pais, para que não aceitem para os seus filhos uma educação “errada e maricas”, contrapõe Caminha uma narrativa surpreendentemente livre de moralismos exagerados e de homofobia.    

Mais informação em www.indexebooks.com/o-bom-crioulo


Uma editora especializada em ebooks de literatura gay
 em língua portuguesa a preços baixos.

4 comentários:

  1. Embora tenha já cá uma edição deste livro para ler, terei prazer de ler também a vossa.

    ResponderEliminar
  2. :) está na lista (depois do Raul e do Alan, então, o Adolfo).

    ResponderEliminar